Atualmente são milhares de opções entre produtos 100% integrais, ou seja, alimentos que não passaram por nenhum processo de refinamento industrializado, e também opções de alimentos enriquecidos com grãos integrais, um mix entre grãos refinados e grãos “in natura”. De pães, arroz, açúcar, farinhas e leite à biscoitos multigrãos, esse mercado atende a todos os gostos.

E quais são as vantagens e desvantagens desse tipo de alimento?


Riqueza nutricional é o maior benefício

Por não serem submetidos a nenhum processo de refinamento, os alimentos integrais preservam a maior parte de suas fibras, bem como vitaminas e minerais, tendo um valor nutricional elevado quando comparado aos alimentos refinados.

A elevada quantidade de vitaminas presente nos grãos integrais é uma grande vantagem desse tipo de alimento. O consumo adequado dessas vitaminas permite o fortalecimento do sistema imunológico e, assim, evita a instalação de uma série de doenças provocadas por vírus e bactérias. As vitaminas são responsáveis também pelo funcionamento adequado de todo o organismo, o que reflete de forma direta na saúde como um todo.

Da mesma forma, o consumo de alimentos integrais garante o fornecimento de sais minerais importantes para a saúde, entre eles o selênio, zinco, cobre, ferro, magnésio e fósforo.

O excesso é perigoso

Apesar das inúmeras vantagens proporcionadas pelo consumo de alimentos integrais, devemos mencionar também a principal desvantagem com relação a esses alimentos: o excesso. Na busca por uma alimentação mais saudável, muitas pessoas cometem exageros com relação aos integrais, acreditando, por exemplo, que estão consumindo produtos menos calóricos, ou que somente o consumo de alimentos com alto teor de fibras resolverá seus problemas intestinais.

Os alimentos integrais, ao contrário do que dizem, são tão, ou mais, calóricos que os alimentos refinados. Eles auxiliam no emagrecimento na medida em que aumentam a saciedade e, consequentemente, facilitam a redução da quantidade de comida. Da mesma forma, o consumo adequado de fibras sem que haja a ingestão mínima de água necessária por dia pode levar a pessoa a um quadro de constipação ainda maior.

O excesso de fibras da alimentação (quando ultrapassa 30 g diárias) também pode reduzir a absorção de nutrientes e sais minerais pelo organismo, comprometendo a saúde de várias formas.

O ideal é que esses alimentos sejam consumidos moderadamente e que a ingestão de água seja adequada. Como vimos, a máxima “tudo em excesso faz mal” também se aplica nesse caso.